Os primeiros mitos gregos da criação baseiam-se no mito babilônico da criação, provavelmente modificado pelos hititas, um povo do norte que dominou a Ásia Menor durante o segundo milênio a. C.

Tratam da sucessão de gerações divinas, todas suplantadas pelas gerações subseqüentes, começando com Caos e terminando com o triunfo do deus reinante Zeus. Em cada geração o filho destrona o pai, muitas vezes brutalmente.

Teogonia - obra datada de 725 a. C. que trata do nascimento dos deuses, tendo sua autoria atribuída a Hesíodo.

Criação do Mundo

Primeiro veio o Caos, depois Géia (a Terra de peitos largos), depois o brumoso Tártaro (que fica debaixo da Terra) e Amor (o mais belo dos deuses imortais, o único capaz de inspirar criação).

De Caos nasceram Hérebo (a treva debaixo da Terra) e a Noite. Da Noite nasceram o Dia e Éter (o brilhante ar superior onde vivem os deuses).

A Terra deu à luz primeiro a seu consorte Urano (céu estrelado para cobri-la), às montanhas e às ninfas que nelas habitam e Ponto (o mar não colhido). A todos ela deu à luz sozinha, mas depois se uniu ao Céu e engendrou os Titãs (os mais antigos deuses).

Primeiro veio Oceano (a poderosa corrente que circunda o mundo). É a origem de todas as coisas, casado com sua irmã Tétis (a deusa do mar), sendo mais tarde separado dela.

A Terra deu à luz ao Céu (pai de Leto), Creúsa, Hiperião (o sol que sobe acima do céu), Jápeto ou Jafé (pai de Prometeu), Téia, Réia (mãe dos deuses), Têmis (a justiça), Mnemósine (mãe das musas) e Febe (a lua).

Terra deu à luz a Crono (destinado a herdar o reino por algum tempo).

A Vitória de Crono sobre Urano

Urano odiava os filhos e não queria que nascessem, sendo assim eles permaneceram escondidos na Terra. Havia 18 ao todo, 12 dos quais eram Titãs. Então Terra fez uma foice de adamas cinzento, criando o novo metal em si mesma. Depois convocou os filhos para se vingarem do pai lascivo, a fim de destroná-lo e surgir à luz. Só Crono teve coragem, tomou a foice e escondeu-a debaixo da cama.

Quando o enorme Urano voltou e se deitou, Crono estendeu sua mão, agarrou o pai e castrou-o. Posteriormente, arremessou as partes do pai ao mar. Desta espuma ensangüentada, nasceu Afrodite (deusa do amor).

A seguir, Crono liberou seus irmãos e irmãs, tomou Réia por esposa e governou os Titãs até seu embate com o grande Zeus.

Nascimento de Zeus e seu Triunfo

Crono receava ser suplantado por seus filhos. À proporção que nasciam, ele engolia-os. Foi assim com Héstia (o Lar), Deméter (a mãe do Trigo), Hera (a Senhora) e Posseidon.

Quando Zeus nasceu, Réia aconselhou-se com os pais Urano e Terra. Eles mandaram-na para Creta, e a Terra recebeu a criança recém-nascida numa caverna sagrada debaixo das florestas do Monte Egeu. Réia então deu a Crono uma pedra embrulhada em cueiros e ele engoliu sem perceber o ardil.

Zeus foi criado pela ninfa Adrastéia e alimentou-se do mel e do leite da cabra Amaltéia. Foi com a ajuda de Terra então que Zeus conseguiu derrubar Crono.

Para tal intento, Zeus deu a Crono um remédio de mostarda e sal e Crono vomitou primeiro a pedra e depois todos os filhos.